27 a 29 de setembro de 2016
Jataí - GO
UFG - Câmpus Cidade Universitária
ISSN 21781281
Você está em: 
01. Um “passeio mágico e misterioso”pela filmografia e pelos lugares de memória dos beatles: (1962-1970)
ImprimirImprimir     
 

01. Um “passeio mágico e misterioso”pela filmografia e pelos lugares de memória dos beatles: (1962-1970)

Coordenadores: Prof. Msc. João Bosco Ferreira Brandão.
                        Profª. Msc. Sílvia Sobral Costa (Professora da Universidade Federal de Goiás/Regional Jataí)

 

Ementa: 

Pesquisar sobre a obra dos Beatles em seus diversos aspectos e áreas nos abre as portas para uma temporalidade onde a juventude se manifestou com grande intensidade em suas elaborações artísticas. Para os jovens dos anos cinquenta e sessenta a música, o cinema dentre outras formas de expressão foram ferramentas de exteriorização de seus sentimentos; busca pela afirmação e por vezes indignação. É importante esclarecer que essa geração que viveu o início de sua idade adulta durante os anos sessenta estava “[...] presente em seu próprio fazer-se, e assim como a classe operária, não surgiu como o sol” (E.P.Thompson). Existia a sensação do “faça você mesmo” e esta postura fez com que vários artistas criassem novos paradigmas em suas produções. Este minicurso tem como objetivos analisar a produção cinematográfica dos Beatles, contextualizá-la e reconhecer seus reflexos sobre o imaginário urbano contemporâneo. Durante os três dias de estudos serão explorados o cinema como objeto de pesquisa histórico através da análise das linguagens utilizadas pelos Beatles em sua filmografia: desde o estilo de videoclipe de “A hard day’s night” (1964) até o cinema verité de “Let it Be” (1970). Nos aprofundaremos em questões de memória, mimese e estética apoiados por autores como Hans Ulrich Gombrecht, Gunter Gebauer, Christoph Wulff, Reinhart Koselleck, Pierre Nora, Maurice Halbwachs, dentre outros pesquisadores. Suas ferramentas epistemológicas nos auxiliarão na busca para uma melhor compreensão da produção cinematográfica dos Beatles e sua presença em nosso imaginário contemporâneo e memória individual e coletiva.

 

Bibliografica Básica: 

ANKERSMIT F. R. Historical Representation. California: Stanford University Press, 2001

ARÓSTEGUI, Julio. A pesquisa Histórica: Teoria e Método. Bauru/ SP: EDUSC, 2006.

ASSMANN, Aleida. Espaços da Recordação: Formas e Transformações da Memória Cultural. Campinas: Unicamp, 2015.

BHABHA, Homi K. O Local da Cultura. Belo Horizonte: UFMG, 2013 

BAUMAN, Zygmunt. A cultura no mundo líquido moderno. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

BERKENSTADT, Jim; BELMER, Scott. Black Market Beatles: The story behind the lost recordings. Canadá: Carl Krach, 1995.

BRADLEY, Fionna. Surrealismo. São Paulo: Cosac Naif, 2001.

BURKHARDT, Jacob. A cultura do Renascimento na Itália: um ensaio. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

CARDOSO, Selma Passos; PINHEIRO, Eloísa Petti; CORRÊA, Elayne Lins (org.). Arte e cidade: discursos e representações. Salvador: EDUFBA, 2008.

CATROGA, Fernando. Os passos do homem como restolho do tempo: memória e fim do fim da história. Coimbra: Edições Almedina, 2009.

CASARES, Adolfo Bioy. A invenção de Morel. São Paulo: Cosac Naif, 2006.

CUSHLEY, Joe. Boys on film in: The Beatles: Ten years that shook the world.Great Britain: Dorling Kindersley Limited, 2006.

EMERICK, Geoff. Here, There and Everywhere: minha vida gravando os Beatles. Barueri/ SP: Novo Século Editora, 2013.

GEBAUER, Gunter; WULF, Christoph. Mimese na Cultura: Ágir Social, Ritual e Jogos, Produções Estéticas. Annablume, 2004.

GOMBRICH, E.H. A história da arte. Rio de Janeiro: LTC, 1999.

GOMPERTZ, Will. Isso é arte? 150 anos de arte moderna do Impressionismo até hoje. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Produção de Presença: o que o sentido não consegue transmitir. Rio de Janeiro: Contraponto: Ed. PUC-Rio, 2010.

HOWLETT, Kevin. The Beatles: The BBC Archives 1962-1970. Londres: Harper Collins Publishers, 2013.

KOSELLECK, Reinhart. “espaço de experiência e horizonte de expectativas”. In: Futuro passado – contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto, 2006, p. 311-337.

LE GOFF, Jacques; NORA, Pierre. História: novas abordagens. Rio de Janeiro: F. Alves, 1976.

LE GOFF, Jacques. Por amor às cidades: conversações com Jean Lebrun. São Paulo: Fundação Editora da UNESP; 1998.

LEWISOHN, Mark. The Beatles: Tune in. London: Little Brown, 2013.

LEWISOHN, Mark. The complete Beatles recording sessions. London: Hamlyn Publishing Group Limited, 1988.

LLOSA, Mario Vargas. A civilização do espetáculo: uma radiografia do nosso tempo e da nossa cultura. Rio de Janeiro: Objetiva, 2013.

MERHEB, Rodrigo. O som da revolução: uma história cultural do rock (1965-1969). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.

NORBERT, Elias. A sociedade dos indivíduos. Rio de Janeiro:  Jorge Zahar, 1994

LYNTON, Norbert. Arte Moderna. São Paulo: Editora Expressão e Cultura, 1978.

O’GORMAN, Martin. Strange Fruit. In: The Beatles: Ten years that shook the world. Great Britain: Dorling Kindersley Limited, 2006.

OSTROWER, Fayga. Acasos e criação artística. Rio de Janeiro: Campus, 1990.

OSTROWER, Fayga. Criatividade e Processos de Criação. Petrópolis, Vozes, 2010.

PEREIRA, Carlos Alberto M. O que é Contracultura. São Paulo: Editora Brasiliense, 1986.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. História & História Cultural. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2012.

PINKER, Steven. Tábula Rasa: a negação contemporânea da natureza humana. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

RUSSEL, Jeff. The Beatles: gravações comentadas & discografia completa. São Paulo: Larousse do Brasil, 2009.

SANTOS, Marcel de Lima. Jim Morrison: O poeta-xamã. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2013.

STAROBINSKI, Jean. 1789: os emblemas da razão. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

THE BEATLES. Anthology. San Francisco: Chronicle Books LLC, 2000.


Desenvolvido por Dype Soluções