27 a 29 de setembro de 2016
Jataí - GO
UFG - Câmpus Cidade Universitária
ISSN 21781281
Você está em: 
03. Gênero e história, representações e práticas no Brasil contemporâneo.
ImprimirImprimir     
 

03. Gênero e história, representações e práticas no brasil contemporâneo.


Coordenadores: Profª Msc. Débora de Souza Bueno Mosqueira (Professora da Rede Ensino Básico/SED-MS)
                        Prof. Msc. Victor Hugo S. G. Mariuss ( Professor do Curso de Turismo - UFMS)

 

Ementa:

Analisar os discursos que historicamente construíram normas e regras sobre o exercício da sexualidade. Expor o uso dos Estudos de Gênero para analisar essas construções. Utilizar o conceito de representações e práticas. Perceber formas de violência na atualidade que são direcionadas a sujeitos que vivem fora dessas normas e regras. Analisar o papel dos movimentos sociais nesse contexto.

 

Objetivos Gerais:

Analisar os discursos construídos historicamente que criaram normas e padrões sobre os corpos dos sujeitos, bem como constituíram aquilo que seria normal ou não para uma sociedade. Analisar as práticas que esses discursos geram também faz parte dos nossos objetivos. Ou seja, entendemos que esses discursos se constituíram como justificativas para algumas práticas de violência sobre determinados sujeitos.

 

Objetivos Específicos:

  • Analisar em que momento tal abordagem se inserem na historiografia;
  • Apresentar métodos e formas de analisar a imprensa;
  • Apresentar a imprensa alternativa brasileira a partir das representações presentes em dois periódicos: Lampião da Esquina (1979-1981) e Mulherio (1981-1987);
  • Discutir algumas temáticas abordadas pelos dois periódicos na história do tempo presente.

Programação do Minicurso:

Aula I (28/09/16)

Surgimento do termo homossexual.

Discurso Médico legal.

Discurso Religioso.

Discurso do Estado.

Violência Contra Homossexuais no Brasil

Movimentos feministas brasileiros das décadas de 1970 e 1980.

Categoria gênero.

 

Aula II (29/09/16) - Parte I - matutino

Imprensa feminista brasileira

Temas abordados por alguns jornais feministas considerados precursores do jornal Mulherio.

A atuação dos núcleos de pesquisas feministas no Brasil

 

Aula III (29/09/16) - Parte II - noturno

Surgimento do tratamento das fontes da imprensa.

Lampião da Esquina (1978-1981).

Representações sobre a violência no jornal.

Análise histórica sobre tais relações. Violência/Sexualidade

Mulherio (1981-1987)

Suas pautas;

O papel exercido por suas fundadoras que refletem suas experiências e conflitos na sua produção;

Interesse dos órgãos financiadores: Fundação Ford e Fundação Carlos Chagas

 

Bibliografia Básica: 

ALVES, Branca Moreira; PITANGUY, Jacqueline. O que é feminismo. São Paulo, Abril Cultural: Brasiliense, 1985.

BARROSO, Carmen. Mulher, sociedade e estado no Brasil. São Paulo: Unicef/Brasiliense, 1992.

BOURDIEU, Pierre. A Dominação Masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010.

BUITONI, Dulcília Helena Schroeder. Mulher de Papel: a representação da mulher pela imprensa feminina brasileira. São Paulo: Loyola, 1981.

BUSETTO, Áureo. A mídia como objeto da história política: perspectivas teóricas e fontes. In: SEBRIAN, Raphael Nunes Nicolletti (Org.). Campinas: Pontes Editores, 2008.

BUTLER, Judith. Corpos que pesam: sobre os limites discursivos do ‘sexo’. In: LOURO, Guacira. L. O Corpo Educado: Pedagogias da Sexualidade. Belo Horizonte, Autêntica, 2001.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: Feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.

CARDOSO, Elizabeth. Imprensa feminista brasileira pós-1974. Dissertação (Mestrado Jornalismo), ECA – Escola de Comunicação e Artes, USP, São Paulo, 2004.

CERTEAU, Michel de. A Escrita da História. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1982.

CHARTIER, Roger. À beira da falésia: entre incertezas e inquietudes. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, 2002.

COSTA, A.; BARROSO, C.; SARTI, C. A. Pesquisa sobre a mulher no Brasil: do limbo ao gueto? Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n.54, p. 5-15, agosto de 1985.

COSTA, Albertina de Oliveira (Org.). Uma história para contar: a pesquisa na Fundação Carlos Chagas. São Paulo: Annablume, 2004.

FOUCAULT, Michel, 1926-1984. A ordem do discurso: aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. 23. Ed. São Paulo: Edições Loyola, 2013.

KATZ, Jonathan Ned. A Invenção da Heterossexualidade. Rio de Janeiro: Ediouro, 1996.

RAGO, Margareth. Adeus ao feminismo? Feminismos e (pós) modernidade no Brasil. In: Cadernos AEL, n.3/4, vol.2, 1996.

SADER, Eder. Quando novos personagens emtram em cena: experiências, falas e lutas dos trabalhadores da Grande São Paulo (1970-1980). Rio de Janeiro: Paz e Terra, 4ª edição, 2001.


Desenvolvido por Dype Soluções