27 a 29 de setembro de 2016
Jataí - GO
UFG - Câmpus Cidade Universitária
ISSN 21781281
Você está em: 
06. A história da beleza e a subjetivação da mulher brasileira
ImprimirImprimir     
 

06. A história da beleza e a subjetivação da mulher brasileira


Coordenadores: Profª. Msc. Ashjan Sadique Adi (Professora da Faculdade São Francisco de Barreiras/BA - FASB).

 

Ementa: 

A busca pela beleza, através dos mais variáveis artifícios, compõe um quadro de mecanismos para o sujeito adequar-se à norma e alcançar o reconhecimento social em um contexto em que o corpo se tornou algo tão ou mais importante do que outrora fora o que chamamos de alma. Este tipo de verdade que circula nos meios midiáticos e científicos enaltecendo a importância da beleza física e associando-a com sucesso e bem-estar compõem práticas discursivas e não-discursivas que criam necessidades, educam consciências, difundem papeis sociais e manipulam toda uma gama de comportamentos a partir da crença nesta invenção.

Diante deste contexto, em que a beleza é um novo regime pelo qual o corpo é construído e moldado, devemos considerar a prevalência de corpos femininos neste processo; o decorrer da história demonstra que as mulheres foram subjugadas e designadas como sujeitos cada vez mais necessitados de normas e procedimentos para permanentemente cuidarem de si, o que nos faz afirmar que esta submissão aos modelos estéticos de uma determinada época proporciona pouca mobilidade e mutabilidade nas relações de poder e de liberdade. É sobre este fenômeno que envolve beleza, poder, sujeição e subjetivação que pretendemos problematizar.

 

Forma de desenvolvimento do curso

O curso será desenvolvido da seguinte forma:

  1. Historicização do Tema – tópicos 1 e 2.
  2. Problematização do Tema – tópicos 3, 4 e 5.
  3. Politização do Tema – tópico 6.

Para este desenvolvimento será utilizada exposição e discussão teórica articulada com material audiovisual – imagens e vídeos.

 

Objetivos:

Apresentar a temática da Beleza e como esta se configurou no decorrer da história.

Problematizar a temática da Beleza como dispositivo de subjetivação e sujeição da mulher no contexto brasileiro.

Discutir formas de enfrentamento deste processo no campo político.

 

Programação do Minicurso:

  1. A Beleza no decorrer da História.
  2. A História da Beleza no Brasil.
  3. Beleza, consumo e lucro.
  4. Beleza e subjetivação.
  5. Beleza, sujeição e sofrimento.
  6. Beleza e enfrentamento.

 

Bibliografia Básica:

BORDO, S. O corpo e a reprodução da feminilidade: uma apropriação feminista de Foucault. In: Bordo, S. & Jaguar, A. Gênero, Corpo, Conhecimento. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1999.

DWECK, R. H. A beleza como variável econômica - reflexo nos mercados de trabalho e de bens e serviço. Rio de Janeiro: UFF, 1999.

IDA, S. W. Anorexia e bulimia: uma perspectiva social. Porto Alegre: UFRGS, 2008.

LAURETIS, T. As tecnologias do gênero. In Heloísa Buarque de Hollanda. (Org.), Tendências e impasses: O feminismo como crítica da cultura (pp. 206-242). Rio de Janeiro: Rocco, 1994.

LIPOVETSKY, G. A terceira mulher: permanência e revolução do feminino. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

MARTINS, A. P. V. Visões do feminino – a medicina da mulher nos séculos XIX e XX. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2004.

NOVAES, J. V. O intolerável peso da feiura: sobre as mulheres e seus corpos. Rio de Janeiro: Editora PUC - Rio: Garamond, 2006.

OLIVEIRA, N. A. S. Corpo e beleza — pautas nos discursos da contemporaneidade. Florianópolis: UFSC, s/d.

SANT’ ANNA, D. B. A insustentável visibilidade do corpo. Labrys Estudos Feministas, n◦ 4, 2003. Disponível em: World Wibe Web: <http: // www.unb.br/ih/his/gefem/labrys4/textos/denise pt.htm>.

SANT’ ANNA, D. B. História da Beleza no Brasil. São Paulo: Contexto, 2014.

SWAIN, T. N. Quem tem medo de Foucault? Feminismo, corpo e sexualidade. Universidade de Brasília, Brasília. Disponível em: <http://vsites.unb.br/fe/tef/filoesco/foucault/art04.pdf.> 


Desenvolvido por Dype Soluções